25 novembro 2008

Bonita homenagem ao nosso Mestre Nuno Salvação Barreto

Caros amigos, ao navegar pela Internet descobri uma bonita homenagem pelo Sr. Manuel Peralta Godinho e Cunha ao grande Mestre Nuno Salvação Barreto. Vale a pena visitar o Blogue (http://sol.sapo.pt/blogs/partebilhas/archive/2007/09/26/Nuno-Salva_E700E300_o-Barreto.aspx) para ver os variadíssimos comentários sobre este Grande Homem. Aqui vós deixe este testemunho.


Nuno Salvação Barreto

"Num tempo em que vejo a juventude misturada com drogas e coisas dessas, sinto muito orgulho no facto de haver 23 grupos de forcados em Portugal. É uma escola de boas maneiras, em que damos quase tudo ou tudo de nós e recebemos nada em troca. É uma maneira de estar na vida" - Nuno Salvação Barreto - Abril de 1989 (Jornal O DIABO)

Fundador dos Forcados Amadores de Lisboa, Grupo que foi cabo de 1944 a 1991.

Figura mítica das arenas de Portugal e internacionalmente conhecido pela sua participação no filme QUO VADIS.

Nuno Salvação Barreto foi um caso impar na divulgação da pega e da corrida à portuguesa. Como forcado e como empresário.

O seu Grupo foi o primeiro a actuar em França, na praça de toiros de Bayonne em 11 de Setembro de 1966. Corrida que foi da iniciativa do cônsul de Portugal - Manuel Heleno - bem como um conjunto de manifestações culturais portuguesas realizadas durante esse mês.

Nuno Salvação Barreto foi dos poucos forcados amadores que viu reconhecida aos mais altos níveis a sua vida de aficionado e taurino, tendo sido agraciado pela Câmara Municipal de Lisboa, condecorado pelo Presidente da República e recebido a Medalha de Mérito Cultural.

Estas condecorações num forcado são caso único, apesar da pega ser um ex-libris de Portugal.

in http://sol.sapo.pt/blogs/partebilhas/archive/2007/09/26/Nuno-Salva_E700E300_o-Barreto.aspx

1 comentário:

Luis Segão disse...

Caros amigos venho a este espaço responder a um comentário a cerca do nosso blogue, em que o autor se intitula como "forcado", ainda que anónimo. O seu comentário tem todo o sentido e razão de ser, mas as pessoas que o criaram não tiveram a honra de poder privar com esse enorme homem que foi Nuno Salvação Barreto. Por essa razão é natural não se recordarem dele com a mesma frequência daqueles que com ele privaram. Queria lembrar também que o blogue fala maioritariamente em passagens actuais e poucas vezes se refere a casos passados. De qualquer forma é de louvar o seu comentário, gostaríamos que futuramente se identifique para podermos exibir o seu comentário sempre que conveniente.

Com os melhores cumprimentos,

Luís Segão.