07 agosto 2007

Corrida em Guimarães

Praça de Toiros: Guimarães – Praça Ricardo Chibanga (Portátil)
Data: 04 de Agosto 2007
Empresa: Ricardo Chibanga - Câmara Municipal Guimarães
Ganadaria: 5 Toiros da Ganadaria de Vila Galé
Cavaleiros: Joaquim Bastinhas, António Maria Brito Pais e Gaston Santos
Forcados: Grupo de Forcados Amadores de Lisboa, capitaneados por José Luís Gomes e Académicos de Elvas, capitaneados por Ivan Nabeiro
Eis que chega o mês de Agosto e por tradição a azáfama das corridas de toiros, um pouco por todo o país.
Não há terra nem terriola, festa ou romaria, que não queira ter incluído no seu programa uma corrida de toiros, por isso foi com naturalidade que o Grupo de forcados amadores de Lisboa, uma vez mais foi convidado para integrar os carteis das corridas realizadas no Sábado dia 4 de Agosto em Abíul, pelas seis da tarde e Guimarães, pelas nove e meia da noite, ambos os festejos integrados nas Festas do Bodo e Gualterianas, respectivamente.
O dia começou cedo, com o cabo José Luís a ter que passar por Vila Franca, para juntar à equipa o José Augusto Batista (Zé da Burra), seguindo para Abíul, onde estava marcada a concentração de todo o Grupo por volta das três horas da tarde e assim aconteceu.
Formadas as equipas e transmitidas as recomendações da ordem lá partiu a comitiva para Guimarães, composta pelos mais novos e também mais leves, ficando a experiência (pesos pesados) em Abíul, porque a situação assim o exigia e cujo o relato cabe ao meu irmão Carlos Galamba, que se vai estrear nestas lides de cronista, para saber o que é que custa, “pegar na pena”, quer dizer carregar nas teclas do computador, porque o resto já todos imaginamos como vais ser emocionante em especial a caligrafia.
À hora marcada, mais minuto menos minuto e com dezasseis forcados fardados, comandados pelo Pedro Maria Gomes, outra estreia, foi dado inicio ao “passeio”, primando pela presença dos naturais de Guimarães os Manos Eusébios, que nos fizeram lembrar, com muita saudade o seu pai Zé Carlos Eusébio, um Forcado com F GRANDE, um pai exemplar e um grande amigo.
O nosso primeiro, lidado pelo Joaquim Bastinhas, com o peso ajustado à dimensão da praça, pouco colaborou com o ginete de Elvas, que apenas colocou dois compridos e dois curtos e saíu.
Para abrir praça o PP, escolheu o João Galamba Jr. outra estreia, que perante um manso reservado, não se sacou o suficiente na primeira tentativa, vindo a emendar-se na segunda com uma oportuna ajudo do Luis Segão (bombeiro, para os amigos).
O nosso segundo lidado pelo mexicano Gaston Santos, foi pegado pelo “Mano” Ricardo Eusébio, que fechado à córnea, lutou até ao fim, numa viagem por baixo, bastante atribulada, demonstrando querer e poder.
Para o ultimo, da noite e já com a presença de praticamente todos os elementos que se fardaram em Abíul, foi escolhido o João Saramago, para em conjunto com os Académicos de Elvas, rematar o festejo. A noite não foi a melhor, para o jovem Saramago, porquanto na primeira tentativa, a reunião foi algo deficiente, não permitindo consumar a sorte, na segunda, o toiro nem sequer deixou o João fechar as tenazes, na terceira, já em terrenos sesgados e com as ajudas em curto foi consumada a sorte.
Todos os forcados deram volta à arena e foram ovacionados no final, com especial incidência para o jovem João Saramago, pelo estoicismo com que encarou a função.
Os Académicos de Elvas que apenas pegaram dois toiros, consumaram as suas caras à segunda e primeira, tentativas.
Regressados à Pousada da Juventude, para um banho reconfortante e troca de indumentária, segui-se a ceia num restaurante da Cidade Berço, recolhendo toda a comitiva aos seus aposentos, já que no Domingo, haveria a responsabilidade de enfrentar novos Vila Galé em Salvaterra de Magos, na Corrida da Mulheres, transmitida em directo pela TVI.
Um grupo de resistentes efectuou uma incursão em território inimigo, regressando sem baixas e com algumas capturas (quatro patos).
Um abraço
João Galamba

1 comentário:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.